São João e São Pedro – Tradições quebradas


Por Editor / 30 de junho de 2014

REPORTAGEM JOÃO MELO

ÍndiceEm casas, em praças, em todos os cantos de Vitória da Conquista, milhares de pessoas se mobilizaram para comemorar em grupos, as festas de São João e São Pedro, embalados pelos jogos da Copa do Mundo. No entanto, os festejos quebraram um pouco da sua cultura popular, porque, nos carros de som, bandas de pagode e vocalistas com músicas de duplo sentindo ou recheadas de palavras chulas, que nada têm a ver com os forrozeiros, dominaram a parada.

Os festejos juninos de antigamente, eram compostos unicamente de músicas interpretadas por, Gerson Filho, Trio Nordestino, Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Genival Lacerda, Marines, Abdias, Jacinto Filho, Elino Julião e outros autores que mantinham a autenticidade das festas. Preservar esta velha cultura do forró junino infelizmente parece uma missão impossível.

 067

A descaracterização dos Festejos Juninos, com músicas pejorativas, infelizmente está ganhando um espaço cada vez maior em diversos municípios do Sudoeste baiano e jogando nossa cultura no lixo com músicas que não tem nada a ver com o São João.

É constrangedor ouvir certas músicas com volume ensurdecedor quando alguém está ao lado da família. São João é uma festa linda e tradicional. Há pouco tempo, nos arraiás das cidades com bandeirolas, balões, retratos de sanfonas o espaço era reservado ao autêntico forró de raiz. A geração mais antiga hoje sente saudade da alegria que os forrozeiros transmitiam trazendo em seu repertório mensagens que falavam do amor de uma forma pura e inocente sem maldade, mensagens que falavam da natureza, do sertão, das alegrias, lutas, festas, enfim temas que representavam a originalidade.