PAQUERA – Tratado do flerte virtual


Por Alessandro / 11 de julho de 2018

Englobada pela internet, arte da paquera ganha novas nuances sob critérios das redes sociais, que se tornaram referência como nova ferramenta de sedução. Tanto que já existe até um estudo brasileiro sobre o assunto. Trata-se do Flertebook, que reuniu os tipos de perfis de quem usa a maior rede social do mundo para paquerar: o Facebook.

“Escolhemos o Facebook como primeiro campo de estudo por entender que esta é a plataforma de redes sociais que mais tem atraído pessoas nos últimos tempos, tornando-se um dos principais meios para a paquera num ambiente digital”, explica o texto de apresentação do levantamento, realizado pelas agências New Begas e Blue ID.

“E nossa pesquisa procura mostrar como os brasileiros utilizam-se das funcionalidades do Facebook para atrair a atenção e o desejo de outras pessoas, muitas vezes dando início a relações afetivas no plano físico”.

Sexy e bem-humorado

Primeiro, foram enumerados vários tipos de perfis: o curioso, o sexy, o popular, o filosófico, o bem-humorado, o crítico, o ausente, o baladeiro, o profissional, o exibido e o romântico. A partir destes, surgiram estatísticas e infográficos mostrando o que interessa no perfil alheio para cada um na hora da paquera virtual e quais perfis são mais compatíveis. Sexy e bem-humorado são os dois mais procurados pela maioria.

Mesmo com o recente estouro do Facebook no Brasil, não é difícil encontrar quem tenha uma história para contar no que se refere à paquera virtual. Para o heavy user de mídias sociais Felipe Lobo, 25 anos, não há como precisar padrões exatos. “Na verdade, acho que rola mais uma migração da paquera no mundo off-line para o online. Mas o ambiente digital é perfeito pra quem tem timidez ao ponto de não conseguir começar um flerte comum”, aponta.

Para Felipe, também é importante ficar atento e saber fazer o caminho de volta. “Assim como virtualizamos esse processo de sedução, não podemos deixar de evoluir a nova forma de interação para o mundo real. Acho até que o Facebook torna mais fácil o primeiro passo. É melhor que puxar conversa de um jeito cafona, como acontece em toda balada. As outras redes sociais não dão tantas brechas pro flerte”, opina.

Coisa séria

A estudante de engenharia Thais Matos, 19 anos, deve um relacionamento sério à maior criação do bilionário Mark Zuckerberg. Por oito meses, ela flertou com o atual namorado pelo Facebook, já que moravam em estados diferentes. Hoje, vivendo na mesma cidade, ela acredita que seria impraticável manter o caso à distância.

“Comecei a manter contato pela internet. No começo, era só conversa, mas depois passei a ficar ansiosa pelas notificações. Queria saber se ele tinha vindo me procurar e passei a checar com mais frequência o Face, a ficar mais tempo navegando nele – dá pra bater papo instantaneamente por lá, além de ser possível fazer videoconferências”, diz a moça.

Thais salienta que a grande sacada da paquera pelo Facebook é o fato de ele ser perfeito pra se aprofundar na vida de alguém que você quer conhecer melhor, mas não tem como – pelas fotos, postagens, recomendações, “shares”, amigos, preferências, etc. “Pra mim, funcionou como um meio de comunicação 100% eficiente”, sentencia.

Era de se esperar que, com o surgimento de novas ferramentas de socialização online, a dança do acasalamento ganhasse novos passos. Por isso, cruzamos informações do Flertebook, de usuários e da experiência própria deste repórter para te dar uma forcinha na hora de paquerar online.

BOX – Passo a passo do flerte pela internet

(BR Press) – Se flertar é uma arte, nas redes sociais certamente não é diferente. Confira algumas dicas reunidas abaixo para quem quer se dar bem na maior rede social do mundo hoje: o Facebook.

* Na internet, o ritmo de qualquer conversa é diferente de uma conversa off-line. Sempre espere um retorno claro da outra pessoa antes de cutucar, comentar ou azucrinar a vida dela pelo bate-papo.

* Se no mundo real é preciso ter cautela especial com cutucadas (pokes), no Facebook não é diferente. A ação, que já não faz muito sucesso no mundo off-line, pode ser entendida de forma ambígua no mundo virtual. Há quem veja como flerte direto, enquanto outros entendem o ato como um simples cumprimento.

* Seu perfil nas redes sociais é uma vitrine. Cuidado com aquilo que você publica. Cerca de 28,3% dos usuários apontaram postagens de conteúdo inadequado como responsáveis pela desistência em continuar a paquera.

*Compartilhe conteúdo, mostre domínio intelectual em assuntos que você de fato entende. Afinal, não é só no mundo real que parecer inteligente é um plus. Mas cuidado com excessos ou com assuntos que podem interessar SOMENTE a você.

* Evite resmungar ou reclamar com frequência. A única coisa que você vai atrair assim são rótulos – dos negativos!

* Interaja. Ser sociável mostra aos outros que você é acessível e, possivelmente, dono de um bom papo. Não há flerte que desperdice uma conversa de qualidade.

* Tanto no off-line quanto no online, ser bem humorado é essencial por ser uma das qualidades que os internautas mais procuram em um possível parceiro(a).Capriche em comentários engraçados, sempre tomando o cuidado para não ofender.

* Invista na sua foto do perfil. Mas narcisismo ou tratamento exacerbado de imagens não são bem vindos. O melhor é passar sinceridade e fotogenia. Manter uma rotatividade nesta foto principal também é bom – mostra disponibilidade.

* Há quem se incomode, mas é de suma importância deixar claro sua situação com o mundo do compromisso amoroso. Os números do Flertebook dizem que 84% dos entrevistados acham fundamental que no perfil conste informações e status de sua vida amorosa. Se está num relacionamento, informe; se está solteiro, idem.

* Expressar preferências como o gosto musical, os locais que você frequenta ou os filmes que você curte certamente vai te ajudar a achar alguém com interesses em comum. Em menos de vinte minutos dá pra rechear as páginas referentes aos seus hobbies. Não tenha preguiça!

(Leandro Moreira/Especial para BR Press)