Comando do Boqueirão volta a ameaçar e diz que vai explodir unidades policiais do Nordeste


Por Alessandro / 21 de dezembro de 2018

Integrantes da facção criminosa Comando do Boqueirão, do Nordeste de Amaralina, voltaram a utilizar grupos de WhatsApp para ameaçar policiais civis e militares. Em alguns registros que o Informe Baiano teve acesso na noite desta quinta-feira (20/12), um traficante relembra o assassinato brutal do Cabo da PM Gonzaga, morto em 09 de junho desse ano.

De acordo com a fonte do IB, os áudios ocorreram essa semana após uma nova investida contra o tráfico de drogas nas localidades do Areal e Boqueirão. Esse último, um dos principais redutos da criminalidade em Salvador.

“Finado Gonzaguinha morreu, virou finado e foi sentar no colo do capeta. Daqui a uns dias ‘vai’ ser vocês. Eu só quero o neguinho da 03. Por mim, vai cair todos na bala. Vão morrer todos vocês”, disse um criminoso, que ainda desafia a PM.

“Brota aqui no beco errado. Eu tô aqui com uma .40 (pistola) com o pente adaptado todo cheio pra meter em vocês. E com uma granada na cintura lhe esperando. Nós vamos jogar a granada nos seus carros”, ameaçou o traficante.

Em seguida, um segundo integrante da facção faz outro comentário.

“Já viu que quando entrou no beco errado, só escutou rajada. Chamou foi o BOPE pra nós. Não se garante, não, 03 de merda? Nós somos o trem bala. Suas panelas vão pegar fogo”, sentenciou o bandido.

“Tô doido que o ‘Coroa’ solte logo minha granada que eu vou jogar dentro da 28 (delegacia) e uma na 40 (companhia da PM). Vai morrer você, Deraldo (delegado), Portela (agente), Marrom (PMs), Rondesp, todo mundo”, afirmou o integrante do Comando do Boqueirão.

No dia 10 de dezembro, uma ação da Rondesp Atlântico, na mesma região, terminou com três mortos durante um confronto e um policial baleado. Na mesma operação, bandidos invadiram o Centro de Saúde Osvaldo Caldas Campos, na Santa Cruz e 16 pessoas foram mantidas reféns.