Cabeleireira simula sequestro para viajar com o amante


Por João Melo / 22 de outubro de 2018

Alline disse para o seu marido que iria fazer um curso de estética e beleza

A cabeleireira Alline Figueredo da Cruz, de 28 anos, era considerada desaparecida desde a última quarta-feira (17). Ela simulou o próprio sequestro para viajar com o amante, que conheceu no Facebook há um mês.

Alline disse para o seu marido que iria fazer um curso de estética e beleza em um Shopping em Várzea Grande, e desde então não deu mais notícias. Os familiares de Alline denunciaram o seu desaparecimento na quinta-feira (18).

Alguns familiares de Alline receberam ligações do suposto sequestrador, que passou instruções para que a polícia não fosse comunicada, caso contrário Alline seria morta.

O caso foi investigado pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Civil de Mato Grosso, e foi solucionado nesta segunda-feira (22), em Cuiabá.

Na noite do último domingo (21), a cabeleireira pediu ajuda à Polícia Militar, alegando que foi rendida por três bandidos armados que a manteram trancada no quarto de uma residência durante os quatro dias.

Em depoimento na delegacia, a mulher assumiu que estava na companhia do amante durante esses quatro dias.

De acordo com o portal G1, Alline explicou para polícia que teve a ideia de inventar o sequestro para justificar a ausência dela ao marido. O casal viajou para uma propriedade rural no Distrito de Mimoso, em Santo Antônio de Leverger, a 35 km de Cuiabá.

Segundo a GCCO, Alline e Marcelo foram autuados nesta segunda-feira (22) por falsa comunicação de crime.